Leonilson

“com o oceano inteiro para nadar”

bordado no meu vestido de noivo

 

Casamento forjado apadrinhando por Quentin

Filho de Caio e Herbet

Sonhando com a revolução rebelde

 

“Eu deserto

o que é verdade para certos rapazes”

decorado no meu véu que decora o meu rosto 

 

no altar não há ninguém. Só eu, meu véu e os bordados

mas o casamento segue

em mim e para mim

 

abaixo do meu pescoço onde eu apaguei a tatuagem

um poema bordado que meu vestido cobre

 

do altar jogo o buque de sangue pelas minhas costas e deixo o vento transcrever o juízo

a condenação da minha aberração

 

que tudo que fizeram antes de mim não valeu em nada porque eu não tive coragem 

e assim termino aqui no dia do meu casamento

entre bordados e crucifixos

 

 

Amém.